Homens também podem sofrer com a diminuição dos hormônios sexuais, como as mulheres. Mas, diferente da menopausa, a deficiência androgênica do envelhecimento masculina (DAEM) costuma ser lenta e gradual. No entanto, ela é popularmente conhecida como andropausa.

Sabemos que, a partir dos 40 anos de idade, os níveis de testosterona caem de 1% a 2% por ano em pessoas do sexo masculino. No entanto, a maioria dos homens chega ao fim da vida com níveis de testosterona dentro dos valores normais. 

Contudo, cerca de 5% dos homens em torno dos 40 anos de idade e 20% após os 60 anos podem sofrer quedas hormonais acentuadas (andropausa). Sedentarismo, obesidade, tabagismo, alcoolismo e doenças como diabetes, hipertensão são alguns dos fatores de risco.

Sinais clínicos e sintomas da andropausa

A testosterona é importante para muitas funções no organismo masculino, como o desejo sexual, produção de esperma, produção dos glóbulos vermelhos, força óssea e muscular.

O Desânimo, a fadiga e a perda do desejo sexual são alguns dos principais sinais clínicos da deficiência androgênica do envelhecimento masculina (DAEM) ou andropausa. Mas esse problema pode interferir de outras formas na vida do homem, como:

  • Mudanças de humor.
  • Aumento da gordura abdominal.
  • Perda de massa magra (músculos).
  • Enfraquecimento dos ossos.
  • Redução do tamanho dos testículos.
  • Disfunção erétil.
  • Baixa contagem de espermatozóides.

Diagnóstico

É importante que os homens, especialmente após os 40 anos de idade, mantenham um acompanhamento regular com o médico urologista. Este profissional saberá diferenciar os sinais clínicos da deficiência androgênica do envelhecimento masculina (DAEM) ou andropausa de outros problemas. 

Nesse sentido, além da anamnese, baseada em uma conversa franca e aberta entre paciente e médico, exames de sangue podem ser solicitados para fechar o diagnóstico. Eles poderão ajudar a identificar os níveis de testosterona no organismo do homem.

O médico urologista também poderá auxiliar na detecção precoce e tratamento eficaz de outras enfermidades, como o câncer de próstata, câncer de bexiga e a hiperplasia prostática benigna.

Tratamento da andropausa

Caso seja identificada, a deficiência androgênica do envelhecimento masculina (DAEM) ou andropausa deverá ser tratada. Um aspecto importante para isso é a reposição de testosterona.

As formas mais comuns de reposição de testosterona são:

  • Gel transdérmico.
  • Implantes subcutâneos.
  • Injetável de média duração.
  • Injetável de longa duração.

Além disso, pode ser importante que o homem faça acompanhamento com psicoterapia. Especificamente a terapia sexual. Esse cuidado multidisciplinar pode ser muito importante para o resultado final do tratamento. A psicoterapia auxilia o homem a resgatar a confiança em seu desempenho sexual, abalada pelos sintomas da DAEM e da andropausa.

O tratamento contra a deficiência androgênica do envelhecimento masculina (DAEM) ou andropausa pode proporcionar os seguintes benefícios:

  • Melhora da autoestima, humor e qualidade geral de vida.
  • Aumento do desejo sexual (libido).
  • Melhora da qualidade das ereções.
  • Aumento das ereções matinais.
  • Facilidade de alcançar o orgasmo.

Consulte o seu médico urologista. Fique atento aos sinais da deficiência androgênica do envelhecimento masculina (DAEM) ou andropausa e viva melhor. Os profissionais do UROCAD são especialistas em saúde do homem. Entre em contato conosco.