O câncer de testículo costuma acometer homens jovens, em idade produtiva. Ele pode ser bastante agressivo, mas apresenta altos índices de cura quando detectado precocemente. 

No entanto, infelizmente, essa doença costuma ser confundida, e até mascarada, por outros problemas na região. O que torna o acompanhamento com o médico urologista desde cedo ainda mais importante.

Entre os principais fatores de risco para câncer no testículo, estão:

  • Histórico familiar da doença.
  • Ter desenvolvido a doença no testículo contralateral.
  • Infertilidade.
  • Criptorquidia (quando um ou dos dois testículos não descem para a bolsa escrotal na infância). O exame do pediatra para verificar a ocorrência de criptorquidia é muito importante na infância. 

Câncer de testículo: autoexame e sinais clínicos

O sinal clínico mais comum de câncer no testículo é o aparecimento de um nódulo duro, do tamanho de uma ervilha. Esse nódulo geralmente não apresenta dor.

Por isso, fazer o autoexame dos testículos é um hábito importante. Não existe um protocolo estabelecido, que diga como a palpação deve ser feita. Contudo, ela deve ser estimulada. 

Durante o autoexame, os homens devem ficar atentos também ao seguintes sinais:

  • Aumento ou diminuição no tamanho dos testículos.
  • Endurecimento dos testículos.
  • Aumento e/ou sensibilidade dos mamilos.

Caso algum destes sintomas seja identificado, o paciente deverá procurar um médico urologista imediatamente.

Infelizmente, a maioria dos homens deixa para consultar o médico urologista apenas nas idades mais avançadas. O que aumenta as chances de perder a qualidade de vida por problemas como o câncer de testículo.

Diagnóstico precoce

O diagnóstico precoce é fundamental para a cura deste problema. E ele deve ser feito com a observação dos sinais e sintomas citados acima, através do autoexame. E, posteriormente, com a confirmação ou não da suspeita por um médico urologista

Vale ressaltar que, na maior parte das vezes, mudanças no tamanho e no formato dos testículos não são provocadas por câncer, mas por outros problemas. De qualquer forma, elas precisam ser sempre investigadas.

Exames Diagnósticos

O câncer de testículo pode evoluir muito rápido. Ele apresenta alto índice de duplicação das células tumorais. No entanto, o seu diagnóstico costuma ser fácil, o que aumenta as chances de cura.

De forma geral, o diagnóstico do câncer de testículo é feito através de exames de ultrassonografia da bolsa escrotal. O médico urologista também poderá solicitar a dosagem de marcadores tumorais no sangue do paciente.

Tratamento do câncer de testículo

O tratamento inicial do câncer de testículo é na grande maioria das vezes cirúrgico. 

Nos casos em que o câncer é confirmado, a extração total ou parcial do testículo é realizada, mediante avaliação médica.

É importante dizer que a função sexual e reprodutiva do paciente não é alterada pela cirurgia, desde que o outro testículo esteja saudável.

Se necessário, tratamentos posteriores com radioterapia e quimioterapia poderão ser solicitados. De forma geral, o câncer de testículo costuma responder bem ao tratamento quimioterápico.


Preserve a sua saúde e a sua qualidade de vida. Faça o autoexame e consulte os médicos do UROCAD em caso de suspeita de câncer de testículos. Entre em contato conosco!