A hiperplasia prostática é um problema urinário que afeta os homens. Em especial, aqueles com mais de 50 anos. O aumento da próstata, pode levar a dificuldade para urinar e, com isso, afetar consideravelmente a qualidade de vida.

A próstata é uma glândula pequena, que tem a forma de maçã e só os homens possuem. Ela fica localizada na região inferior do abdômen, abaixo da bexiga e à frente do reto – a parte final do intestino grosso. Além de produzir parte do sêmen, a próstata auxilia no controle da micção.

Causas da hiperplasia prostática benigna

A hiperplasia prostática benigna está relacionada com as mudanças hormonais que acontecem no corpo dos homens na medida que envelhecemos. A doença não é comum antes dos 40 anos de vida, mas afeta cerca de 70% dos homens após os 70 anos de idade.

Vale ressaltar que homens com Hiperplasia Prostática Benigna não têm, necessariamente, mais chances de desenvolverem o câncer de próstata. Mas que é possível ter as duas doenças ao mesmo tempo.

O processo de aumento da próstata é lento e gradual. A maioria dos homens não percebe o problema até que os sintomas iniciais. Por isso, consultar o médico urologista periodicamente é tão importante.

Sintomas e problemas urinários

Por conta de sua localização, o aumento da próstata tende a bloquear a passagem da urina pela uretra, que é o canal responsável por conduzir o líquido através do pênis e para fora do corpo.

De forma simultânea, a hiperplasia prostática pressiona a bexiga, aumentando a vontade de urinar. Entre os principais sintomas da doença, estão:

  • Jato urinário mais fino;
  • Jato urinário intermitente;
  • Necessidade de fazer força ao urinar;
  • Sensação de bexiga ainda cheia após urinar;
  • Idas frequentes ao banheiro;
  • Levantar várias vezes a noite para urinar.

Complicações associadas

A infecção urinária é uma complicação frequente da hiperplasia prostática benigna. Ela tende a acontecer quando o paciente não consegue esvaziar a bexiga por completo. Dessa forma, as bactérias podem crescer e se multiplicar na urina residual.

Se não for diagnosticada e tratada a tempo, a hiperplasia prostática benigna pode prejudicar o sistema urinário masculino gravemente. A bexiga pode perder a capacidade de contração, levando a retenção urinária e como consequência a necessidade de passagem de sonda uretral para esvaziamento da bexiga.

Em casos graves, os rins também podem ser danificados.

Por isso, cuide da sua saúde! Faça consultas periódicas ao médico urologista. Este profissional poderá realizar os exames necessários e identificar problemas como a hiperplasia prostática benigna ainda nas fases iniciais. Quanto antes o diagnóstico e o tratamento forem iniciados, maiores as chances de cura e de uma boa qualidade de vida.

Em caso de dúvidas, procure os médicos urologistas do UROCAD. Nós estamos a sua disposição. Entre em contato conosco.

Sobre os autores:

Dr. Pedro Geraldo Junior é graduado em medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais. Especializou-se e concluiu residência em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José e em Urologia no Instituto Mario Penna. É membro efetivo da Sociedade Brasileira de Urologia, da American Urology Association, da International Society for Sexual Medicine e da European Association of Urology.

Dr. Roberto Kinchescki é graduado em Medicina pela Universidade Federal de Santa Catarina. Especializou-se e concluiu residência em Urologia no Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná. Com passagens e atendimento na esfera pública e privada, sua marca é o aprimoramento de técnicas e procedimentos para uma melhor qualidade de vida, sempre em contato com o bem-estar e o contexto humano de cada paciente.

Dr. Sander Tessaro é graduado pela Universidade do Extremo Sul Catarinense. Especializou-se e concluiu residência em Urologia em São Paulo/SP pelo Hospital Santa Marcelina. Dedicou parte dos seus estudos na Cleveland Clinic (Estados Unidos) onde realizou fellowship em Cirurgia Minimamente Invasiva e Endourologia. É membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia e Membro Internacional da American Urology Association e da European Association of Urology. Sua atuação é pautada pela busca de soluções efetivas aos seus pacientes, atendendo-os de forma humanizada e individual.