A próstata é uma glândula pequena, que tem a forma de maçã e só os homens possuem. Ela fica localizada na região inferior do abdômen, abaixo da bexiga e à frente do reto – a parte final do intestino grosso.

“Uma das funções da próstata é produzir parte do sêmen, o líquido que nutre os espermatozóides e é liberado durante a ejaculação” – Dr. Pedro Geraldo Junior, Médico Urologista (CRM/SC 23.189 – RQE 14.074).

O Câncer de Próstata

O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens no Brasil, atrás apenas do câncer de pele não-melanoma. São cerca de 65 mil novos casos e 15 mil mortes por ano no Brasil, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA).

“Na maior parte das vezes, o câncer de próstata evolui de forma lenta. No entanto, em alguns casos, ele cresce de forma rápida e se espalha para outros órgãos agressivamente, levando ao óbito” – Dr. Roberto Kinchescki, Médico Urologista (CRM/SC 15.903 – RQE 13.753).

Fatores de risco

A idade é um dos principais fatores de risco para o câncer de próstata. Mais de 75% dos casos no mundo são detectados a partir dos 65 anos. 

É preciso lembrar porém, que a doença atinge também faixas etárias mais jovens. A incidência e a mortalidade aumentam muito a partir dos 50 anos de vida. Especialmente nos casos em que os pacientes possuem alguns dos fatores de risco abaixo:

  • Pai ou irmão com câncer de próstata antes dos 60 anos;
  • Hábitos alimentares e estilo de vida inadequados para a saúde;
  • Sobrepeso e obesidade;

Sintomas e detecção precoce

O câncer de próstata costuma ser bastante discreto nas suas fases iniciais. Muitas vezes ele não apresenta nenhum tipo de sintoma. Os sangramentos, as dores e as dificuldades para urinar (sinais inespecíficos, comuns também a outras doenças), tendem a aparecer nas fases mais avançadas.

“Por isso, os exames de checkup urológicos devem devem ser realizados de forma periódica, antes do surgimento de qualquer sintoma. Quando eles aparecem, o tumor pode estar em uma fase já avançada. Isso dificulta o tratamento e reduz as chances de cura do paciente” – Dr. Sander Tessaro, Médico Urologista (CRM/SC 16.006 – RQE 13.373). 

Consultando o médico urologista 

Todos os homens devem fazer exames periódicos com o médico urologista a partir dos 40 anos de idade. Este check up é muito importante para o diagnóstico precoce de outras doenças, como o câncer nos rins e a hiperplasia prostática benigna.

Com relação câncer de próstata, os cuidados a partir dos 40 anos também são fundamentais, especialmente em pacientes com:

  • Parentes de primeiro grau com câncer: por conta da maior tendência genética de desenvolver a doença;
  • Ascendência negra: quando surge, o câncer de próstata tende a ser mais agressivo nesses casos. 

“É importante lembrar que que os pacientes de baixo risco, com câncer de próstata localizado, têm mais de 90% de chances de cura. Estas pessoas, geralmente, são as que tiveram o câncer de próstata diagnosticado precocemente” – Dr. Pedro Geraldo Junior, Médico Urologista (CRM/SC 23.189 – RQE 14.074). 

Exames para diagnóstico

Os exames para diagnóstico do câncer de próstata são bastante simples:

  • Antígeno Prostático Específico (PSA): Este é um exame de sangue através do qual o médico consegue identificar alterações provocadas pelo câncer de próstata;
  • Exame de toque retal: A próstata é formada por tecidos de consistência amolecida. Mas, quando acometida por um câncer, a região doente passa a apresentar uma consistência mais dura. Com o toque retal, o médico consegue apalpar as regiões da próstata onde cerca de 70% dos tumores costumam aparecer.

A partir do resultado destes exames, caso o câncer de próstata seja suspeitado, o médico urologista pode encaminhar o paciente para a realização de procedimentos mais específicos. Entre eles, a Ressonância Multiparamétrica da Próstata ou Biópsia de Próstata guiada por Ultrassom.

“Estes procedimentos nos ajudam a diagnosticar a doença e a avaliar sua gravidade. Com isso, podemos indicar o melhor tratamento específico para cada paciente”  – Dr. Roberto Kinchescki, Médico Urologista (CRM/SC 15.903 – RQE 13.753). 

Preserve a sua saúde e a sua qualidade de vida. Quanto antes o câncer de próstata for diagnosticado, maiores as chances de cura e de tratamentos mais eficazes e menos agressivos, assegurando ao paciente uma vida feliz e proveitosa. A equipe do  Instituto Catarinense de Urologia e Cirurgia Digestiva (Urocad) está a sua disposição.

Sobre os autores: 

Dr. Pedro Geraldo Junior é graduado em medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais. Especializou-se e concluiu residência em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José e em Urologia no Instituto Mario Penna. É membro efetivo da Sociedade Brasileira de Urologia, da American Urology Association, da Internacional Society for Sexual Medicine e da European Association of Urology.

Dr. Roberto Kinchescki é graduado em Medicina pela Universidade Federal de Santa Catarina. Especializou-se e concluiu residência em Urologia no Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná. Com passagens e atendimento na esfera pública e privada, sua marca é o aprimoramento de técnicas e procedimentos para uma melhor qualidade de vida, sempre em contato com o bem-estar e o contexto humano de cada paciente.

Dr. Sander Tessaro é graduado pela Universidade do Extremo Sul Catarinense. Especializou-se e concluiu residência em Urologia em São Paulo/SP pelo Hospital Santa Marcelina. Dedicou parte dos seus estudos na Cleveland Clinic (Estados Unidos) onde realizou fellowship em Cirurgia Minimamente Invasiva e Endourologia. É membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia e Membro Internacional da American Urology Association e da European Association of Urology. Sua atuação é pautada pela busca de soluções efetivas aos seus pacientes, atendendo-os de forma humanizada e individual.