O cálculo renal ou nefrolitíase, popularmente conhecido como pedras nos rins, é uma condição que pode ser muito dolorosa. Ela caracteriza o quadro clínico da cólica renal. É provocada pelo acúmulo de minerais existentes na urina. Estes, por sua vez, dão origem a formações endurecidas nos rins e nas vias urinárias.

Os pacientes com cólica renal costumam reclamar de dores intensas. Elas começam na região lombar e tendem a irradiar para o abdômen. São muito frequentemente associadas a náuseas e vômitos.

Durante as crises mais severas, o atendimento médico-hospitalar pode ser necessário. Isso pode incluir a administração de medicamentos intravenosos. Nesses casos, o tratamento cirúrgico pode ser necessário.

Abaixo, veremos quais os sintomas, diagnóstico e tratamento para os cálculos renais.

Sintomas do cálculo renal

Além das dores, das náuseas e do vômito, os pacientes com cálculo renal podem apresentar:

  • Sangue na urina.
  • Infecções urinárias.
  • Interrupção ou diminuição do fluxo urinário.
  • Aumento da frequência das micções.

Principais causas de pedras nos rins

Entre as principais causas, estão:

  • Baixo consumo de água, que leva a volume insuficiente de urina e a uma concentração exagerada de sais.
  • Excesso de cálcio, fosfato, oxalatos e outros elementos no sangue.
  • Falta de citratos no sangue.
  • Distúrbios metabólicos relacionados ao ácido úrico e à glândula paratireóide.
  • Características anatômicas.
  • Demais obstruções das vias urinárias (estenose ou estreitamentos). 

Diagnóstico

O diagnóstico de nefrolitíase (pedras nos rins) deve ser realizado pelo médico urologista. Além do exame clínico, este profissional poderá solicitar uma série de exames complementares de sangue e de urina. Exames de imagem, como Ultrassonografia e, em especial, a Tomografia Computadorizada, também podem ser necessários.

Os pacientes com suspeita de pedra nos rins também podem preencher o questionário de avaliação abaixo. Os resultados deverão ser avaliados e correlacionados pelo médico urologista responsável:

SimNão
Dor intensa na parte de baixo das costas, que pode limitar os movimentos?
Dor que irradia das costas para a virilha?
Dor ao urinar?
Urina rosa, vermelha ou marrom?
Vontade frequente de urinar?
Enjoos ou vômitos?
Febre acima de 38ºC

Tratamento para pedras nos rins

O primeiro passo ao suspeitar de cólica renal é procurar o auxílio de um médico urologista. Este profissional irá examinar individualmente o paciente e avaliar quais as causas do problema.

Durante as crises, o médico responsável poderá prescrever medicamentos específicos para controlar a dor e a inflamação. 

Dependendo do caso, o tratamento para pedra nos rins pode envolver o uso de medicações que agem sobre a formação dos cálculos renais. Existe também a possibilidade de realizar procedimentos específicos para a remoção dos cálculos urinários.

Um dos procedimentos utilizados para o tratamento de Nefrolitíase é a Litotripsia 

Extracorpórea por Choque de Ondas. Trata-se da irradiação de ondas de choque para a fragmentação dos cálculos renais. Isso facilita a eliminação dos resíduos pela urina.

Tratamento cirúrgico

O tratamento cirúrgico para pedra nos rins pode ser feito de forma:

  • Percutânea: é realizada uma punção na região lombar, guiada por radioscopia ou ultrassonografia. Dilatações sucessivas são realizadas para acomodar o equipamento endoscópico (Nefroscópio). Por meio deste, o cálculo renal é fragmentado com LASER ou energia Ultrassônica e retirado.
  • Ureteroscopia: o cálculo localizado no ureter ou nos rins é retirado por via totalmente endoscópica, com o auxílio de LASER para sua fragmentação.
  • Videolaparoscopia / Retroperitonioscopia: em alguns casos, a localização e densidade do cálculo permitem o acesso ao mesmo por cirurgia videolaparoscópica Esta é realizada com o auxílio de pequenas incisões no abdome ou na região lombar. As pinças especiais permitem o acesso do cirurgião ao ureter ou pelve renal para retirada dos cálculos.

Prevenção e cuidados 

Sem dúvidas, a melhor forma de lidar com o cálculo renal é a prevenção. Para isso, é importante:

  • Beber 2 a 3 litro de água/líquidos regularmente, todos os dias.
  • Controlar, com o auxílio de nutricionista, a ingestão de alimentos ricos em proteínas e sódio. 
  • Suplementar outros nutrientes caso a formação dos cálculos renais esteja relacionada a estes elementos.
  • Procurar atendimento médico de urgência em caso de crises.

Importante: os pacientes devem tentar coletar o cálculo caso ele seja expelido. Isso pode ser feito com um filtro de papel. A análise do material poderá guiar o médico urologista responsável no tratamento mais adequado.

Não deixe para depois! Em caso de suspeita de pedra nos rins, procure imediatamente um médico urologista. O Instituto Catarinense de Urologia e Cirurgia Digestiva (UROCAD) tem profissionais experientes e qualificados a sua disposição. Conte conosco!

Sobre os autores:

Dr. Pedro Geraldo Junior é graduado em medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais. Especializou-se e concluiu residência em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José e em Urologia no Instituto Mario Penna. É membro efetivo da Sociedade Brasileira de Urologia, da American Urology Association, da International Society for Sexual Medicine e da European Association of Urology.

Dr. Roberto Kinchescki é graduado em Medicina pela Universidade Federal de Santa Catarina. Especializou-se e concluiu residência em Urologia no Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná. Com passagens e atendimento na esfera pública e privada, sua marca é o aprimoramento de técnicas e procedimentos para uma melhor qualidade de vida, sempre em contato com o bem-estar e o contexto humano de cada paciente.

Dr. Sander Tessaro é graduado pela Universidade do Extremo Sul Catarinense. Especializou-se e concluiu residência em Urologia em São Paulo/SP pelo Hospital Santa Marcelina. Dedicou parte dos seus estudos na Cleveland Clinic (Estados Unidos) onde realizou fellowship em Cirurgia Minimamente Invasiva e Endourologia. É membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia e Membro Internacional da American Urology Association e da European Association of Urology. Sua atuação é pautada pela busca de soluções efetivas aos seus pacientes, atendendo-os de forma humanizada e individual.